Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

AS CADEIRAS DE TÁSSIA, BOTELHO E LATORRACA
Artigo de:
Flávio Cavalcante


 
 
     É maravilhoso quando há um casamento profissional; principalmente num meio onde o estresse vive sempre presente. Essa união deixa essa estricção apenas na plateia de camarote e observando a perfeita harmonia dos atores em cena. A vivência de Tássia Camargo no teatro e na televisão faz uma concordância com a sua personagem que parece que o autor escreveu a personagem em sua intenção. Não há dinheiro que pague o prazer de ver essa dupla atuando.
 
     Tassia Camargo e Edi Botelho na pele de dois idosos trabalham o imaginário da plateia prendendo até o fim do espetáculo e transmitindo a mensagem do texto com apenas duas cadeiras no palco. Só a experiência desses monstros sagrados para conseguir tal façanha, além de que o texto é rico e difícil pelas suas anuências. O texto de Eugéne Lonesco o considerado pai do teatro do absurdo ironiza o ser humano como alguma coisa insignificante, já dar de presente para a plateia sobre o que é envelhecer. É um texto que serve de exercício para ator e também direção; esta, ficou por conta de nada mais nada menos que o Ney Latorraca que brilhantemente estreou num desafio diretor e mergulhou de cara nessa empreitada mostrando que a chama do teatro está mais acesa do que nunca. E a maravilha de tudo. Com apenas duas cadeiras no palco.
 
     Com 72 anos, Ney disse em uma entrevista para um site que se cuida bastante e que apesar da idade se sente como se tivesse com vinte anos. É clara a energia do ator e diretor, provando que o amor de fazer teatro o torna vitalício e com essa jovialidade. Ser rude com o ator tirando o máximo da sua potência de interpretação, ser exigente na concentração, não permitir que fumem durante ensaios, dar a Ney Latorraca essa marca registrada.
 
     Edi Botelho ressaltou que está vivendo um reencontro com a obra do autor franco-romeno e a Tassia sempre foi acostumada a fazer comédias; disse também é um desafio para ela fazer “As Cadeiras” até por nunca ter feito Ionesco e trabalhar com o Ney na direção deixo-a com a adrenalina às alturas.
 
     À produção da peça ficou por conta do trio e Denise Escudero, e está sendo feita sem patrocínio. Tássia ressaltou ainda que “A vida inteira fiz assim, mas claro que gostaríamos de ter”.
     
     Tássia Camargo veio da mesma escola que Ney Latorraca e já participaram de vários folhetins na Rede Globo, como a minissérie “RABO DE SAIA”, na novela “UM SONHO À MAIS e também no CRAVO E A ROSA” e com o ator Edi Botelho ele trabalhou na peça “Entre Dentes”. Disse que também se sente em casa trabalhando com os colegas.
 
     A peça “AS CADEIRAS” está em cartaz no teatro Cândido Mendes em Ipanema até agosto – Rua Joana Angélica  63 - Temporada: De 8 julho 2016 até 28 agosto 2016
Horário: sexta, sábado às 20h e domingo às 19h.
 
     A opção de estar afastada das telas da TV Tássia Camargo mostra em cena experiência nas duas áreas; ela, em comissão de frente, deixa bem claro que fazer teatro é pra quem é, não é pra quem quer. 

 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 22/07/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras