Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

40 ANOS DA ESCRAVA QUE DEIXOU SAUDADES
Artigo de:
Flávio Cavalcante
 
 
     Quarenta anos se passaram. O tempo voa imperceptivelmente e vemos o quanto foi significante a televisão para a formação da nossa juventude de outrora. A ficha parece que não caiu e não percebemos ainda que não fazemos mais parte daquela época de ouro da televisão. Fecho os olhos e passa o filme das cenas marcantes da novela Escrava Isaura que marcou profundamente a vida dos tios, pais e vovôs da atualidade.
 
     Bernardo Guimarães comemora os 40 anos da primeira versão de sua obra que virou um clássico na teledramaturgia brasileira. Lembro-me com nitidez cenas marcantes da brilhante atuação de Lucélia Santos e grande elenco. Para ter tanto sucesso assim, não poderia ser diferente com a assinatura da direção do saudoso Herval Rossano e do grandioso Milton Gonçalves. O elenco escolhido à dedo fez do folhetim um marco da televisão brasileira e através da atuação de cada um passando tanta veracidade na interpretação, hoje em dia ainda enxergamos a atriz Lucélia Santos como aquela escrava coitadinha que viveu um momento de sofrimento, deixando nós telespectadores com ódio do vilão Leôncio, interpretado pelo genial Rubens de Falco. Ela conseguiu imortalizar a personagem que se fizerem outros remakes do folhetim, vai ser difícil aceitar a escrava Isaura sem a atuação da Lucélia. A música de abertura ainda fica sendo reprisada na cabeça de muitos fãs que até os que não viveram a época, mas tiveram a oportunidade de ver reprises em alguns canais expostos nos mais váriados cantos do mundo ainda cantarolam lerê, lerê.
 
     Gilberto Braga fez a adaptação do original dando uma roupagem que qualquer autor agradeceria o cuidado e respeito pela obra original. A estréia de Lucélia na tv, veio com o convite depois que o diretor da trama Herval Rossano, após assistir a atuação da atriz no teatro com a peça “Transe n° 18 em 1976. Este convite tirou a aptidão do autor Gilberto Braga pela atriz  Louise Cardoso, mais indicada na época para interpretar a Isaura no folhetim que carregava o mesmo título.  
 
     Cenas que ainda guardo na memória, foi o incêndio da senzala, provocada pela maldade do senhor vilão Leôncio e o veneno que Rosa (Léa Garcia) se fazendo de redimida pelas maldades feitas na trama com a Isaura, pôs no copo para envenenar a escrava e acabou provando do próprio veneno e morrendo depois de haver uma mistura de copos no último capítulo da novela pela personagem Carmem (Ângela Leal).
 
     A novela arrebanhou fãs no mundo todo, trazendo para o Brasil grandes prêmios importantes representando a excelente teledramaturgia do país.
 
     Todo trabalho da Lucélia Santos relacionado à arte hoje em dia está sob os cuidados do Pesquisador e Mantenedor do Portal Arquivo Lucélia Santos, o carioca Aladim Miguel, que nos cedeu gentilmente uma entrevista exclusiva para o site mediz e segundo o seu depoimento ele relata:
 

“A minha ligação com a “Escrava Isaura”, que acaba de completar os seus 40 anos, é muito forte, porque além de ter sido meu primeiro contato com o gênero telenovela, foi também o meu primeiro contato com a imagem e o trabalho da atriz Lucélia Santos, que estava estreando na TV. Foi a partir da “Escrava Isaura” que tudo teve início, eu, mesmo ainda muito criança, comecei a colecionar os materiais que me chegavam através de jornais e revistas que tinham na minha casa ou na casa de parentes.

     O sucesso da “Escrava Isaura” foi muito grande nos Anos 70 e encantou a todos, crianças e adultos. Ela foi muito reprisada neste período e depois ganhou o mundo e eu sempre acompanhando tudo. Demorou até que a Lucélia Santos soubesse da minha existência e que tinha um acervo gigantesco sobre toda a sua vida e obra, o que só ocorreu mesmo 12 anos depois do término da versão original da “Escrava Isaura”, quando nos encontramos em sua casa pessoalmente a convite dela mesma, depois que apareci na TV pela primeira vez com meu material no programa "Sem Censura" da extinta TVE. Mas a espera valeu a pena e hoje somos amigos e parceiros no Portal Arquivo Lucélia Santos, que já é acessado por mais de 100 países do mundo.

     Fico feliz em ver que aquela atriz iniciante que tanto admirava quando criança se tornou uma Diva da nossa teledramaturgia, do cinema e do teatro, porque Lucélia Santos joga nas onze e está sempre renascendo por ai"

     Palavras da Lucélia Santos fazendo referências ao Aladim Miguel

 
     “Bom, eu acho super bonitinho, muito gratificante ver uma pessoa inteligente como o Aladim, que tem um trabalho tão dedicado a mim, a minha carreira, a estória da minha carreira na televisão, e também no teatro e no cinema, mas especialmente na televisão.
 
     Eu me sinto muito feliz com isso, eu me sinto sinceramente agradecida por todo o esforço, por toda a dedicação, por todo o trabalho, investimento, carinho que o Aladim, essa pessoa maravilhosa, me doa tão generosamente. Muito obrigada, que Deus lhe pague.
 
     O Aladim Miguel é um ser humano muito especial, uma pessoa de uma generosidade e delicadeza incomuns… Não há muitos Aladins nesse mundão! Eu tive a sorte dele ter se encantado com meu trabalho e criar esse arquivo com tanto cuidado e dedicação. Nem tenho palavras para agradecer tantas coisas bacanas que ele faz todos os dias na net para manter vivo o mito que é tão importante para ele. Além de todos os cuidados extra net que ele sempre tem comigo e com tudo que faço na minha carreira, ele não existe! Sou grata a ele e desejo que ele seja muito feliz nessa vida e encontre o caminho da iluminação…“.

     No meu ponto de vista, a novela “Escrava Isaura” foi de fato um marco, clássico da televisão brasileira. Só quem viveu aquela época de ouro tem a propriedade de deixar em notas o quanto foi importante na vida de nós telespectadores que na ocasião éramos mirins. A atriz Lucélia Santos foi a principal culpada por deixar esta saudade. Na atualidade, a vida artística de atores pode se considerar relâmpago e muitos vão pra geladeira, no caso de Lucélia, teve a sorte de encontrar em sua vida esse fã que apesar de a televisão arfar com a concorrência da atualidade, ainda está viva a memória dessa grandiosa atriz que com o seu marcante trabalho representou tanto na história da televisão brasileira.
 
 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 23/10/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras