Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos


AMIGO BEM-TE-VI
Poema de:
Flávio Cavalcante
 
 
 
I
OH, MEU LINDO AMIGO BEM-TE-VI
VIESTE PARA ME FAZER COMPANHIA
TIVESTE A NOBRE PACIÊNCIA DE ME OUVIR
AS LAMÚRIAS QUE MEU PEITO HAVIA
 
II
OH! MEU GRANDE AMIGO BEM-TE-VI
NAS MANHÃS ALEGRASTE O MEU DIA
APRECIAVA-TE ATÉ A TUA HORA DE PARTIR
ESQUECENDO AS DORES QUE EU POR ACASO SENTIA
 
III
FIZESTE LEMBRAR OS TEMPOS DE OUTRORA
QUE UM DIA COM A MINHA AMADA E COMPANHEIRA
FALÁVAMOS DE AMOR SEM SE PREOCUPAR COM A HORA
ONDE COM ELA CONSTRUÍ E FUI FELIZ A VIDA INTEIRA
 
IV
ALEGRA-ME POR SER MEU AMIGO BEM-TE-VI
O SEU CANTO AFASTOU A MINHA DOR
SUA PRESENÇA AGORA ME FEZ SORRI
ENTOA COMO UM SUAVE CANTO DE LOUVOR
 
V
NO TEU PEITO ABRIGASTE O MEU PRANTO
ENXUGASTE NA BRISA DA LEALDADE
COM TUAS PLUMAS ME COBRISTE COMO UM MANTO
PRO INFINITO ME LEVASTE DEIXANDO SAUDADE
 
VI
NÃO FIQUEM TRISTES AQUELES QUE EU DEIXEI
ESTOU NA MINHA VERDADEIRA MORADA
FOI NAS ASAS DO BEM-TE-VI QUE EU VOEI
PARA OS BRAÇOS DA MINHA MULHER AMADA
 
BEM-TE-VIIIIIIII
BEM-TE-VIIIIIIII
BEM-TE-VIIIIIIII

 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 08/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras