Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

 TORMENTO DO PASSADO
Poema de:
Flávio Cavalcante

Mente insana e confusa
Deveria ser concretizada
Dificuldade mais que obtusa
Para devaneios em hora errada

És a doida varrida e desvairada
Assombrada pelo próprio eu
Começo de uma partida toda errada
Final de um dia que na vida já morreu

Pilares sem nenhum sustentáculo
Embaraço de uma estruturação
Palavras tiradas do antigo vernáculo
Buscando vocábulo da boa informação

A dor que atormenta mas adota
A pluralidade como poder normal
Do insano ser a serenidade remota
Consistência entre o bem e o mal

Selvageria e agitação conturbada
Relicário de uma vida profana
Aos olhos a miragem da mira apontada
Na tua mente que está podre e insana
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 23/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras