Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

A POESIA DO LIVRO
Poema de:
Flávio Cavalcante
 
 
I
Fiz dos livros minha parede
Nem meu pensamento podia escapar
Fitando cada página deitado na rede
Fiz da leitura minha base salutar
II
Fiz da biblioteca a minha moradia
Me delicio como dentro do meu lar
Cada página de leitura marcaria
Mais um degrau que possa avançar
III
Fiz da escrivaninha minha longevidade
Satisfazendo minha fome de leitura
No papel deslizo a minha totalidade
Promovendo o alavanco de toda Cultura
IV
Fiz da minha poesia uma linda retreta
Na melodia um bálsamo aos ouvidos
Escrito em pauta da nota a opereta
Em respeito aos livros ainda não lidos
V
Fiz de conta ao contar minha história
Entreguei para as letras tudo o que devia
O resultado busco no fundo da memória
Sou dependente ou sou a própria poesia
 
 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 12/07/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras