Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

O CORDAR DO AMOR
Poema de:
Flávio Cavalcante
 
 

Meus sonhos me entregam ao amor
Mostra de fato quem fui, quem sou
No meu sono mais profundo
Fico no escurinho neste profano mundo
Te encontro nas mais histórias eróticas
Deliciosas de prazer viril e vagabundo
No relento, no sereno, sobre a luz da Luz
Deitado na areia branca, gélida e crua
No deleite de corpos grudados, seduz
Sob a ótica de fitar, a menina deusa nua
Paisagens começando a embaçar
Emoção que invade a mente infértil e crua
Forçando a barra para não acordar
 
 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 01/08/2018
Alterado em 01/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras