Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos


JOGO DA VIDA
Poema de:
Flávio Cavalcante
 
 
I
No jogo de mentira e incerteza
Minha carta na vida foi lançada
Entre dadinhos jogados sobre a mesa
Da sorte que por sorte foi arrancada


II
Saí ileso e sem nenhum rancor
Pulei as crateras com muita sorte
Abriguei-me do frio e do calor
Lutei e fugi dos braços da morte


III
Cada carta na mesa está marcada
Tudo em prol do maior adversário
No jogo que escolhi a maior cilada
De porte sem sorte é um relicário


IV
Joguei minha vida na mira da ilusão
O coringa lançado foi no meu destino
No perder o jogo atingiu o coração
Suor na pele de um calor vespertino



 V
O resultado do leilão não foi satisfatório
Neste grande jogo cada pedra retirada
Igual a música apagada do repertório
História de uma vida que foi eliminada

 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 08/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras