Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos

AMOR E MARESIA
Poema de:
Flávio Cavalcante

I
Aquele que adoça o doce da boca
Dessalga o sal da areia na praia
Desejo que traduz a fúria louca
Na roupa bem curta tomara que caia
II
Tem água salobra no fundo do rio
No encontro agitado do riacho com o mar
O doce da mulher que esconde seu brio
O sal do homem que não sabe amar
III
O que salga é o peso da tua ignorância
O que adoça é o sussurro com tesão
O sal é como o trepidar sem ressonância
O doce tem aperto que explode o coração
IV
O amor tem o mesmo sinônimo de doçura
A maresia é a parábola da conturbação
Buscando no olhar a mais doce candura
O que atrapalha é o sal da retaliação
V
A água com açúcar pode até te acalmar
A água no sal até o gelo detona
O doce do beijo pode até fazer gozar
A água salgada na areia te apaixona
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 05/12/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras