Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos



MENTE CONFUSA
Poema de:
Flávio Cavalcante
 
 
 
A lua subindo a colina
O sol descendo a serra
Tempestade em tempo de guerra
A luz da estrela me ilumina
 
Confusão momentânea
Mente em confusão num momento
Tudo vem e vai muito lento
Paciente chega ao pico da montanha
 
Sem desespero se pensa
Cabeça fria produz
E perde o caminho da luz
Cabeça dura despensa
 
Na vida tudo se afina
Certeza que é certa como essa
Que todo um dia começa
Depois que o outro termina
 

 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 16/04/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras