Flávio Cavalcante

O espectador merece todo nosso respeito, porque sem ele, não há quem possa nos aplaudir

Textos


 DESCONTRAÍDA
Poema de:
Flávio Cavalcante


I
Estava ela de bem com a vida
Esbanjando aquele belo sorriso
Toda feliz e muito descontraída
Defronte ao horizonte todo preciso
II
Estava ela meiga e sensual
Sentada numa pedra esverdeada
Contemplava as águas até o final
Boquiaberta frenética e apaixonada
III
Uma só lágrima doce não rolou
Da saudade que no coração passeia
O choro contido de quem nunca amou
Num confidencial à bela e fiel sereia
IV
As amarguras aos pés da santificada
Foram deixadas também as oferendas
Com a alma mais que renovada
Trazendo alegria das suas crenças e lendas
V
Não dei por mim no que estava fazendo
Deixando um aceno com a minha partida
Meus conceitos que na vida fui relendo
Momento em que ela estava descontraída

 
 
Flavio Cavalcante
Enviado por Flavio Cavalcante em 27/10/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras